Viva – A Vida é uma Festa

Entre dois estúdios e dois mundos.

Miguel é um simples e tradicional garoto mexicano que ama música e sonha que um dia será um musico profissional, mas existe um porém, sua família após um grande trauma que marcou muitas gerações, decide abominar e proibir toda e qualquer música entre seus membros. Em meio a um dos mais famosos feriados mexicanos, o Dia De Los Muertos (equivalente ao Finados no Brasil), Miguel luta contra o preconceito de sua família para que assim possa realiza o seu sonho.

O filme trouxe diversas análises sobre temas como morte e vida, abordando elementos como família, trabalhando-os de modo sério e maduro, construiu personagens que mudam e evoluem ao decorrer de sua trama, questionam suas ações e trazem seu grau de complexidade. Provando-se como mais uma excelente aventura Pixar que trouxe o que de melhor esse estúdio construiu.

Com suas cores, sua festividade natural, o vencedor do Globo de Ouro 2018 de Melhor Animação é um espetáculo belíssimo, utilizando a cultura mexicana e o seu misticismo como premissa, o filme construiu um roteiro estimulante composto por um aspecto visual incrível.

Tudo isso sendo transmitido pela lente de Lee Unkrich, diretor experiente, responsável por dirigir grandes filmes da Pixar como Toy Story 3 e Procurando Nemo. O diretor entrega novamente um grande trabalho do estúdio que além de divertir e entreter, o filme mexe com o emocional de seu público, fazendo-o chorar e rir. A mescla dessas ações tão opostas que o público realiza ao decorrer do filme de modo tão natural e rítmica, se tornou uma marcante característica deste brilhante diretor de animações.

Uma história simbólica de um mero garoto que tenta se desvencilhar do sistema que o oprime e o impede de realizar seu sonho, é a trama base de Viva. Diferentemente de filmes como A Noiva Cadáver, aqui o “mundo dos mortos”, embora seja mais colorido e vívido, é abordado como uma reles extensão do “mundo dos vivos”, onde ainda existe a pobreza, a divisão por classes sociais e aqueles que a sociedade repudia, sendo aqui representado pelos que estão sendo pouco a pouco sendo esquecidos por seus familiares.

A inocência que disfarça tais temas é um mérito muito grande que o filme possui, pois acima de tudo é um filme para toda a família. Um filme que possui um muito bem elaborado roteiro, que aborda a cultura de outro país, seu cotidiano e suas tradições de modo impecável, desenvolve muito bem sua trama e seus personagens, além de mesclar o surreal com o rotineiro. Embora algumas de suas subtramas e seu desfecho possam ser pouco originais, a somatória final concretiza-se como positiva.

O favorito ao Oscar 2018 de Melhor Animação cumpre mais do que bem o seu papel, é um filme lindo, bem construído e emocionante como toda animação deve ser, assim como marcante, por suas cores e textura extremamente profunda e detalhista.

Viva – A Vida é uma Festa

Título Original: Coco
Ano: 2017
Direção:  Lee Unkrich, Adrian Molina
Duração: 105 min.
Nacionalidade: EUA
Gênero: Animação, Fantasia
Elenco: Anthony Gonzalez (VIII), Benjamin Bratt, Gael García Bernal

Gabriel Lucas

Gabriel Lucas

Excêntrico estudante do Ensino Médio, um fã devoto de Game Of Thrones e Breaking Bad, que prefere abertamente a DC, um completo fanático por Watchmen e O Senhor dos Anéis, e admirador dos trabalhos de Woody Allen, Alejandro González Iñárritu e Stanley Kubrick.
Gabriel Lucas

Últimos posts por Gabriel Lucas (exibir todos)

Compartilhe!

Gabriel Lucas

Excêntrico estudante do Ensino Médio, um fã devoto de Game Of Thrones e Breaking Bad, que prefere abertamente a DC, um completo fanático por Watchmen e O Senhor dos Anéis, e admirador dos trabalhos de Woody Allen, Alejandro González Iñárritu e Stanley Kubrick.