Star Wars VIII – Os Últimos Jedi

Reverenciando o antigo e se maravilhando com o novo

Após 40 anos da concepção desse universo, Star Wars – Os Últimos Jedi comprova que a mitologia criada por George Lucas é inesgotável. O novo filme da franquia inova, amplia e moderniza o universo de modo corajoso e ousado.

Enquanto Rey (Daisy Ridley) conhece finalmente o recluso e lendário Luke Skywalker (Mark Hammil), Kylo Ren (Adam Driver) enfrenta suas duvidas e questionamento ao reorganizar a Primeira Ordem na tentativa de levar um fim aos remanescentes da Nova Republica e a Resistencia.

Quase impossível de se imaginar um universo de tamanha amplitude que após quarenta anos de produção de conteúdos relacionados a ele (seja por meio de livros, HQs, filmes ou séries de televisão), possa-se a partir daí trazer algo novo, algo que surpreenda e que emocione de modo ainda não abordado. Este é o motivo pelo qual Star Wars se tornou um fenômeno mundial que continua vivo após tantos anos. Ao promover esses sentimentos, através de uma simples mudança de perspectiva, Star Wars – Os Últimos Jedi é vivenciada nas salas de cinema de modo mágico e brilhante.

O responsável por esta experiência foi Rian Johnson diretor e roteirista do filme, que foge do usual, apresenta um filme emocional e intimo, que além de cumprir o seu dever para com a trilogia, marca o universo ao trazer novas perspectivas, seja para personagens e conceitos que sempre estiveram ali, ou para novos inseridos no filme ou no seu predecessor. O diretor de um dos melhores episódios de Breaking Bad, mostra-se extremamente competente nas cenas de ação, trazendo um filme de tirar o folego, maravilhar e emocionar em momentos devidos.

O roteiro traz como era de se esperar, muitos clichês Disney, incluindo algumas soluções fáceis, entretanto, seu mérito reside em explorar um filme mais significativo e interpretativo que serve como um novo marco para este universo. Enquadrando-se brilhantemente com sua direção, sendo fielmente complementado pela sua esplendida fotografia, entregando nas salas de cinema de todo mundo um filme lindo e marcante.

Sua história estimula, empolga e emociona, traz uma excelente atuação de Mark Hammil, uma honrosa despedida para Carrie Fisher, balanceando novo e antigo de modo elegante. Entretanto, ele negligencia alguns dos novos elementos dessa trilogia, deixando diversas perguntas sem respostas, e estimula novos bem-vindos questionamentos.

Tais pontos interagem em cena ousando, através de um simples espetáculo visual que vale a pena ser apreciado. Trazendo uma significante mensagem sobre a passagem de tempo, o novo filme da franquia mostra que ainda existem novos elementos a serem abordados e consolida a nova trilogia.

Star Wars VIII – Os Últimos Jedi

Título Original: Star Wars – The Last Jedi
Ano: 2017
Direção: Rian Johnson
Duração: 155 min.
Nacionalidade: EUA
Gênero: Ação, Aventura, Fantasia
Elenco: Daisy Ridley, Mark Hammil, Carrie Fisher

Gabriel Lucas

Gabriel Lucas

Excêntrico estudante do Ensino Médio, um fã devoto de Game Of Thrones e Breaking Bad, que prefere abertamente a DC, um completo fanático por Watchmen e O Senhor dos Anéis, e admirador dos trabalhos de Woody Allen, Alejandro González Iñárritu e Stanley Kubrick.
Gabriel Lucas

Últimos posts por Gabriel Lucas (exibir todos)

Compartilhe!

Gabriel Lucas

Excêntrico estudante do Ensino Médio, um fã devoto de Game Of Thrones e Breaking Bad, que prefere abertamente a DC, um completo fanático por Watchmen e O Senhor dos Anéis, e admirador dos trabalhos de Woody Allen, Alejandro González Iñárritu e Stanley Kubrick.