Dunkirk

Um filme essencialmente Nolan

Trazendo elementos já mostrados em filmes como A Origem e Amnésia, Dunkirk é o primeiro filme baseado em fatos reais do renomado diretor Christopher Nolan, que embora tenha uma influencia clara de seus antigos trabalhos, isso nem de longe é um ponto ruim, muito pelo contrário, talvez se Dunkirk fosse dirigido por outro cineasta ele não teria metade de sua magnificência.

O filme traz três núcleos diferentes, com temporalidades variadas, todos os três ligados pelos eventos da Operação Dínamo ou mais conhecida como a Evacuação de Dunquerque. Acompanhando por uma semana a luta desesperada do jovem soldado Tommy (Fionn Whitehead) em sobreviver e fugir das praias de Dunkirk; um dia no mar com o civil britânico Dawson (Mark Rylance) que com seu barco de passeio se dirige até Dunkirk com a missão de resgatar o máximo possível de soldados; e uma hora no céu com o aviador Farrier (Tom Hardy) que é encarregado de destruir aviões inimigos que bombardeavam aqueles que tentavam fugir da ilha.

Com sequências mais longas e a dificuldade de trabalhar com um numero tão alto de pessoas, a direção de Nolan mostra-se bastante diferenciada, entretanto sua edição minuciosamente realizada está de modo onipresente em cada um dos seus filmes e Dunkirk não é exceção. O que ganha destaque do começo ao fim é a sua mixagem de som que melhora de modo considerável toda a experiência de assistir o filme. Entretanto, nem tudo são rosas, o filme possui diversos erros de sequência que surgem no decorrer da história. Uma negligencia infantil não esperada em um filme dessas proporções, feito por um diretor normalmente tão minucioso.

O roteiro, que desta vez não conta com a participação de Jonathan Nolan (irmão do diretor) utiliza muito bem os três núcleos do filme, e parece se divertir com o fato de que os acontecimentos envolvendo os três ocorram em tempos diferentes, é um grande ponto alto. Dunkirk não é um filme que fala sobre heróis de guerra ou o amor que estes possuem em relação à pátria pelo qual lutam. É um filme sobre sobreviventes. Sobre pessoas que passaram pelo inferno e seu único objetivo é escapar de lá, tendo assim sua carga dramática e emotiva. Variando nos três núcleos a historia corre de modo fluente, com cortes rápidos que não prejudicam o entendimento. Embora os personagens não tenham muitas falas, nem muita profundidade, impossibilitando os atores de mostrarem todo seu potencial, seus objetivos são simples e claros, sendo facilmente relacionáveis e entendidos pelo publico.

Com uma edição de som estonteante que surge nos principais momentos do filme, e tendo em seu elenco o premiado compositor Hans Zimmer que já havia outrora trabalhado com Nolan em filmes como A Origem e Interestrelar. Outros pontos dignos de nota são seu design de produção, seus efeitos visuais e sua fotografia, sendo Dunkirk um dos filmes que marcaram o Oscar 2018. Mas será este o filme que conceberá a primeira indicação de melhor direção para Christopher Nolan? Embora seja o filme certo para isso. Apenas o futuro dirá.

Dunkirk

Título Original: Dunkirk
Ano: 2017
Direção: Christopher Nolan
Duração: 107 min.
Nacionalidade: EUA, França, Holanda, Reino Unido
Gênero: Guerra, Drama, Histórico
Elenco: Fionn Whitehead, Mark Rylance, Tom Hardy

Gabriel Lucas

Gabriel Lucas

Excêntrico estudante do Ensino Médio, um fã devoto de Game Of Thrones e Breaking Bad, que prefere abertamente a DC, um completo fanático por Watchmen e O Senhor dos Anéis, e admirador dos trabalhos de Woody Allen, Alejandro González Iñárritu e Stanley Kubrick.
Gabriel Lucas

Últimos posts por Gabriel Lucas (exibir todos)

Compartilhe!

Gabriel Lucas

Excêntrico estudante do Ensino Médio, um fã devoto de Game Of Thrones e Breaking Bad, que prefere abertamente a DC, um completo fanático por Watchmen e O Senhor dos Anéis, e admirador dos trabalhos de Woody Allen, Alejandro González Iñárritu e Stanley Kubrick.