Assassin’s Creed – O Filme

Habemus filme bom baseado em games!!!

Assassin’s Creed faz sucesso, é bem estruturado e prova que ainda há esperança para as adaptações cinematográficas de videogames.

O ano de 2016 foi cotado como o definitivo para a consolidação dos filmes baseados em videogame. Começou complicado, com algumas adaptações ruins, como Ratchet & Clank e outras medianas, mas com sérios problemas como Warcraft. Então Assassin’s Creed tornou-se a última esperança, com sua estreia marcada para a derradeira semana do ano.

E felizmente o filme cumpriu o seu papel, e seu sucesso deu novo fôlego para esse gênero já tão castigado por horríveis adaptações. Assassin’s Creed pode não ser o filme dos sonhos dos jogadores mais exigentes, mas com certeza agrada ao público geral, provando isso com salas lotadas e bilheteria de expressão.

O filme que extrai dos games a eterna guerra entre Assassinos e Templários, nos apresenta um personagem inédito nos games, Callum Lynch (Michael Fassbender), descendente dos assassinos e condenado no corredor da morte. Lynch então tem sua morte forjada e acorda na Abstergo, uma empresa de exploração genética, liderada pela Doutora Sophia Rikkin (Marion Cotillard) e Alan Rikkin (Geremy Irons), que usa de memórias do DNA de Lynch para descobrir segredos importantes do passado que podem vir alterar o presente.

A história então começa a ser mesclada entre o presente com Callum utilizando uma máquina chamada Animus, e seu antepassado Aguilar de Nerha, que tem o objetivo de proteger a Maçã do Éden. Apesar da história ser inédita para os filmes, ela foi baseada na história do primeiro game da série, mas trazendo novos elementos à trama.

O filme toma a licença de adaptar as ações do presente, principalmente o Animus, que é apenas uma máquina em uma maca, que o usuário fica deitado e imóvel para utilizá-la, diferente das cenas do filme, que um braço mecânico ajuda Lynch a reproduzir as manobras realizadas por seu antepassado.

Apesar das mudanças e de explorar uma época e uma região ainda não explorada pelos games, o filme agradou e acertou nas adaptações, para que as cenas se tornassem mais dinâmicas e mais cinematográficas.

Com atuações boas de seus atores de renome e uma direção segura de Justin Kurzel, Assassin’s Creed agradou o público geral. Com alguns defeitos de ritmo, o filme encontra uma solução simples para o baixo orçamento, como muita névoa e fumaça nas tomadas que cobrem as antigas cidades espanholas, pois com certeza refazer esses cenários seria caríssimo. Além disso também há muitas câmeras focadas nos rostos dos atores durante os diálogos, com o mesmo objetivo de cortar custos e não precisar focar nos detalhes dos ambientes.

Por fim, Assassin’s Creed é o filme que a indústria do cinema precisava para conseguir futuros investimentos altos para o gênero. Com certeza a Ubisoft fará uma continuação para este filme, talvez até com um maior orçamento. Agora é esperar as próximas adaptações e cruzar os dedos para que o nível continue a melhorar.

Assassin’s Creed – O Filme

Título Original: Assassin’s Creed: The Movie
Ano: 2016
Direção: Justin Kurzel
Duração: 140 min.
Nacionalidade: EUA, França
Gênero: Ação, Ficção Científica
Elenco: Michael Fassbender, Marion Cortillard, Jeremy Irons

Gounford

Gounford

Amante do cinema, viciado em games, entusiasta de séries e escravo dos quadrinhos e livros... Ou seja, procura-se emprego para sustentar tudo isso!
Gounford

Últimos posts por Gounford (exibir todos)

Compartilhe!

Gounford

Amante do cinema, viciado em games, entusiasta de séries e escravo dos quadrinhos e livros... Ou seja, procura-se emprego para sustentar tudo isso!