Capitão América: Guerra Civil (Sem Spoilers)

Mantendo tudo aquilo que vem funcionando e consertando as recentes falhas, Capitão América: Guerra Civil é com certeza o maior filme da Marvel.

 

Com um elenco cheio de estrelas o terceiro longa do Sentinela da Liberdade tinha a obrigação de ser um sucesso. Diante do “fracasso” (de crítica) que foi o Vingadores 2: Era de Ultron, a fórmula parecia batida e colocar mais um monte de heróis na tela parecia uma opção arriscada, tanto pela fortuna gasta com os atores, como com a organização de um filme com vários heróis.

Mas os irmãos Anthony e Joseph Russo (Capitão América 2 – Soldado Invernal), junto à Kevin Feige (chefão do Marvel Studios) decidiram que no ano de Batman v Superman a Marvel não poderia entregar pouca coisa, então colocaram o projeto para frente e deram uma aula de como fazer heróis se enfrentarem nas telonas.

O filme, que leva o título da saudosa saga das HQs de 2006, resolveu dar uma boa adaptada na trama, colocando o peso sobre o ato de ter que responder à políticos como o principal foco do ato de registro, isso pois, dentro do MCU (Universo Marvel Cinematográfico) não existe a máxima de que heróis têm identidades secretas. Essa mudança foi uma das adaptações mais questionadas durante a produção do filme, mas funcionou perfeitamente, foi crível e assertiva, não dando espaço para questionamentos sobre o embate dos heróis.

A parte técnica do filme é sensacional, as batalhas entre os heróis são épicas, em nenhum momento você sente que algo não é crível, tanto os poderes dos heróis já conhecidos como os dos inéditos são bem aplicados. As coreografias e os efeitos especiais estão perfeitos, com algumas ressalvas em algumas aparições do Homem-Aranha, que fica claro que foi inserido depois das cenas já finalizadas.

Falando do Cabeça de Teia, o herói que roubou a cena dos figurões Homem de Ferro e Capitão América, sua inserção no MCU foi fluída e dinâmica, em cinco minutos todos já compravam o garoto nerd que escala paredes. O ator, Tom Holland, parece muito com o Peter Parker jovem dos anos 60 e com certeza agradará tanto às viúvas de Tobey Maguire, quanto às de Andrew Garfield, com certeza é a melhor representação do Teiudo nas telonas.

Outro estreante foi o Pantera Negra, que convence e agrada à todos, seu estilo de luta e seu lado agressivo destaca-se no filme, mesmo que o personagem não esteja o tempo todo nos holofotes, com certeza ele carimbou seu passaporte para o filme solo de 2017. Falando em estreias, o vilão do filme talvez seja o único ponto fraco do filme, mas como o que importa neste longa é a porradaria entre os heróis, isso pouco afeta a trama.

Por fim, este filme mostra-se superior à três facetas até então consideradas imbatíveis dentro do MCU: a trama de Capitão América 2 – Soldado Invernal, o tom descontraído de Guardiões da Galáxia e as batalhas de Os Vingadores. Ele não só condensa todos as três características, como amplia algumas delas e converte tudo no melhor filme de super-heróis até o momento, quiçá um dos melhores de ação de todos os tempos.

 

Capitão América: Guerra Civil
Título Original: Capitain America: Civil War
Ano: 2016
Direção: Anthony Russo e Joseph Russo
Duração: 147 min.
Nacionalidade: EUA
Gênero: Ação | Aventura
Elenco: Chris Evans, Robert Downey Jr., Scarlett Johansson
Gounford

Gounford

Amante do cinema, viciado em games, entusiasta de séries e escravo dos quadrinhos e livros... Ou seja, procura-se emprego para sustentar tudo isso!
Gounford

Últimos posts por Gounford (exibir todos)

Compartilhe!

Gounford

Amante do cinema, viciado em games, entusiasta de séries e escravo dos quadrinhos e livros… Ou seja, procura-se emprego para sustentar tudo isso!